sábado, 2 de julho de 2011

1 comentário:

  1. de assinalar a surpreendente, sempre surpreendente, vivência próxima dos amigos roazes, entretidos em grupo, em Família bem para além de laços de sangue

    durante uma fresca manhã, os golfinhos permitiram a nossa interessada companhia, exactamente à hora da refeição - há registo fotográfico a evidenciar a pescaria e a alegria de um repasto convivial

    há também registo da presença de uma tenra cria, porventura o anunciado "Pirata" nascido há poucos dias, ainda colado à mãe ou à golfinha ama que a reveza

    algumas embarcações aproximavam-se, curiosas, um tanto intrusivas, sobretudo de mantinham os motores ligados - e algumas atitudes dos golfinhos demonstravam stress, com batimentos da barbatana caudal a resfolegar na água, por vezes interpretado como pirueta mas afinal uma reacção legítima a manifestar desconforto

    há uma comunidade a respeitar por outra comunidade que perturba um habitat precioso e que importa preservar e cuidar

    a comunidade "invasora" também se comportou bem, abrindo o pano e velejando a singrar sem ruído sob as águas do Sado anfitrião - acima da linha de água era a vozearia de crianças e adultos, expressão de admiração e espanto, inevitáveis afectos contidos, ante o prodígio da natureza e de seres que os humanos devem respeitar, em coexistência pacífica e dever de assegurar a biodiversidade, a sustentabilidade do habitat, a despoluição dos rios, a desobstrução do estuário, para que os golfinhos sobrevivam e se desenvolvam, em harmonia

    e se tanto precisamos de harmonia, também temos que avançar na harmonia com a natureza e com os seres que habitam o planeta azul

    em especial, tornar estes passeios a expressão da possibilidade de convivência harmoniosa entre os habitantes do nosso rio Azul

    uma bela manhã no Sado, obrigado ;_)))

    ResponderEliminar